Nos siga nas redes socias!

Robôs podem ajudar na gestão do contencioso em um escritório de advocacia?

Robôs podem ajudar na gestão do contencioso em um escritório de advocacia?

Advogados sabem que, tão importante para as finanças do escritório quanto buscar novos clientes e áreas rentáveis, é a gestão do contencioso.

Uma má administração da atuação nos processos judiciais pode trazer erros, perda de dinheiro (tanto para o escritório quanto para as partes) e clientes frustrados.

Neste artigo, vamos entender como se dá a implementação de uma ferramenta que traz qualidade, eficiência e redução de custos na gestão do contencioso: os robôs jurídicos customizados.

 

Gestão do contencioso: necessidade ainda maior diante da realidade processual no Brasil

Segundo o último relatório Justiça em Dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ao fim do ano de 2018, o Poder Judiciário acumulava 78,7 milhões de processos em tramitação.

O tempo médio que um processo leva até sair a primeira sentença, no 1º grau, é de 6 anos nas Varas Estaduais, e 8 anos nas Varas Federais.

Analisando dados como esses, fica claro o quanto o ofício do advogado requer habilidades de gestão estratégica de processos,  entre tantas outras habilidades. Afinal, é preciso manter a sustentabilidade financeira do escritório e manter a transparência com o cliente durante o trâmite processual.

 

Advogados e rotinas administrativas e processuais: uma combinação que merece ser repensada

Faça um exercício consigo mesmo: pense em todas as atividades que você realiza no seu dia a dia como advogado.

  • Quantas delas requerem o conhecimento que você obteve na faculdade e nos estudos e experiências complementares?
  • E quanto tempo você passa fazendo essas coisas, em comparação com o tempo que passa atendendo, buscando novos clientes, ou realmente usando sua expertise jurídica?

A menos que seu escritório já tenha um aparato tecnológico que permita a automação de tarefas, provavelmente você chegou à conclusão de que gasta boa parte do seu dia fazendo coisas que poderiam ser feitas por outra pessoa sem formação em Direito e inscrição na OAB, ou por uma ferramenta digital

Ou, talvez, seu escritório conte com uma estrutura de colaboradores grande o suficiente para poder distribuir as atividades e tirar dos advogados a carga de rotinas administrativas e processuais. Neste caso, estas equipes e atividades também poderiam ter seu funcionamento e custos enxugados, com a incorporação de tecnologias customizadas.

 

Como os robôs jurídicos podem ajudar na gestão do contencioso

A incorporação de robôs jurídicos e plataformas pode aumentar a retenção de demanda em escritórios, evitando sobrecarregar a equipe ou aumentar outros gastos.

Na medida em que atividades como protocolo, movimentações processuais, monitoramento de prazos e abertura de intimações em lote são retiradas da rotina dos advogados, relocando seu tempo e energia para os atendimentos, reuniões, peticionamento e elaboração de fundamentação jurídica, aumenta-se a capacidade e qualidade do trabalho.

A automação robótica de processos (ou RPA, sigla para Robotic Process Automation) propicia a programação de robôs especificamente de acordo com as necessidades do escritório.

Hoje, vários escritórios de advocacia já adaptaram seus departamentos e modo de trabalho para incluir robôs jurídicos no processo de protocolo e acompanhamento processuais, e até mesmo na informação aos clientes.

Os advogados “de carne e osso” entram em momentos pontuais do fluxo: atendendo os clientes (fase pré-processual), criando as teses jurídicas, revisando peças, conversando com os clientes em atos mais sensíveis do processo, ou em quaisquer outros casos em que a automação não é possível ou benéfica.

Enquanto isso, os robôs também vão controlando os prazos e despesas, assegurando um melhor controle dos processos e evitando erros e perda de prazos.

Dessa forma, o foco fica no core business do escritório e nas competências que levam a relacionamentos bem sucedidos entre cliente e advogado.


Avatar

Oystr Robôs Inteligentes