Nos siga nas redes socias!

Aprender, Superar e Crescer na Advocacia

Aprender, Superar e Crescer na Advocacia

O conceito “antifrágil” surgiu na obra do libanês Nassin Nicholas Taleb em 2012, mas ele previu o colapso financeiro ocorrido em 2008. A obra, “Antifrágil: coisas que se beneficiam com o caos” (Ed. Best Business). Ele já mencionava em suas aulas o termo e previu alguns colapsos econômicos antes de escrever a obra. 

Mas afinal o que significa? Algumas empresas e organizações são antifrágeis, outras não. Umas são frágeis, sofrem muito com qualquer espécie de dificuldade. Outras são resilientes, eu chamaria esta de as que “dão a outra face”. Agora as antifrágeis não. Estas melhoram a cada dificuldade. Um exemplo de empresa antifrágil são as companhias aéreas. Elas melhoram seus procedimentos após um acidente aéreo. Ao invés de se abaterem, elas buscam melhoria imediata.

O importante é sempre aprender com o caos, seja ele pequeno ou não. 

O problema é que normalmente não aprendemos. Mais uma vez como em quase todos nossos artigos que escrevemos, a questão é a cultura. Mas hoje não vamos falar muito dela. 

Sabemos que temos que mudar! Aprendermos, e sermos líderes e empresas antifrágeis. Imediatamente.

 

Aprender, melhorar e crescer. Como assim? 

Nós da advocacia, do mundo jurídico, temos constantes exemplos de mini caos (vamos chamar assim), e poucas vezes aprendemos com isso. 

Prestem atenção!! Vamos combinar que a Justiça no Brasil, já é digital faz pelo menos uma década, muitos escritórios já possuem suas controladorias jurídicas, já ocorreram alguns colapsos no país como a greve dos caminhoneiros em 2018

E o que eu aprendi com tudo isso? Se você respondeu nada. Está na hora (na verdade já passou), de tomar providências imediatas e construir um escritório antifrágil. 

Mas por onde devo começar?

Entendemos que precisamos agir em duas frentes: a cultura, a decisão, e em outra frente a mão na massa. 

Primeiro se você como ´sócio, líder, gestor não internalizar isto, não tomar a lição para si e aprender, de nada adianta seguir o passo a passo abaixo, que em algum momento você vai se auto sabotar. Se lá no seu íntimo, você não acredita que as crises afetam a advocacia, a gestão da advocacia, não acredita em melhoria contínua, não acredita em tecnologia. Pare de ler este artigo agora e continue sofrendo com o fechamento das portas do seu escritório. Sente e chore. 

Agora, se você já entendeu que deve mudar. Vamos lá, mãos à obra. 

Lembrando que o frágil quando exposto ao caos, aos agentes agressores deformam, quebram. Já o antifrágil não ele se beneficia, ele não somente resiste. Mas ele cresce. Sim. Pode parecer estranho, mas a crise serve para alavancar o crescimento. 

 

O escritório antifrágil:

– Valoriza toda a gestão da Tecnologia da Informação, como ponto de partida. O ideal sim é verificar como a equipe está utilizando os computadores, as máquinas. Eu disponibilizei todo o material necessário para o home office? Eu criei uma política de segurança?  

– Tudo no software. Como sempre falamos, o ideal é que todas as informações estejam atualizadas no software de gestão legal que o escritório utiliza. Tudo, desde as informações do contato até a cópia dos arquivos, agendas, tarefas e compromissos. Bem com o a gestão financeira da banca. 

– Está buscando continuamente o que existe de mais tecnológico no mercado, sejam ferramentais de automação na advocacia, seja inteligência artificial, ferramentas de geração de documentos, etc. 

– Possuem líderes que dão e recebem feedbacks contínuos. Lembrando que feedback é sempre um presente. Lembre-se de utilizar clareza e honestidade. Será primordial para construir uma equipe antifrágil.

 

O importante é construir uma “empresa jurídica” que seja verdadeiramente antifrágil, que esteja preparada para trabalhar por um ano em home office, e ao longo do processo pode ocorrer dos sócios ou gestores perceberem que adotar o home office uma vez por semana seja uma excelente alternativa. Que reuniões on line com os clientes são muito produtivas. Que enviar informativos com as alterações legislativas (diárias neste momento), ao cliente seja uma obrigação e melhora muito a comunicação com o cliente. Dentre outras rotinas novas que foram acrescentadas ao dia a dia do escritório que antes pareciam um peso ou uma bobagem, hoje são as únicas alternativas para manter a perenidade do meu escritório e ainda posicionar a minha marca no mercado e crescer.


Tatiana Rodrigues

Tatiana Rodrigues

Advogada, Consultora plena em Gestão da produção Jurídica. Professora da disciplina de Controladoria Jurídica e Inovação da graduação (Uninter), professora da disciplina de Controladoria Jurídica na pós-graduação ESA- GO/Dalmass, professora da ESA/PR. Palestrante e autora de diversos artigos em Gestão Legal.